Em nota, Governo diz que PMs grevistas não receberão anistia


Governo afirmou, por meio de nota, que não vai conceder anistia para policiais envolvidos em manifestação
Capitão Wagner diz que anistia é fundamental para término da greve (FOTO: MAURI MELO) Capitão Wagner diz que anistia é fundamental para término da greve (FOTO: MAURI MELO)

Em nota oficial divulgada na tarde de ontem, o Governo do Estado afirmou que não vai anistiar os policiais militares que respondem a processo disciplinar por terem participado de manifestação contra o governador Cid Gomes, no último dia 16. Esse é um dos principais pontos reivindicados pelos PMs, que decidiram paralisar as atividades em assembleia realizada na última quinta-feira.

“Não haverá, sob qualquer hipótese e condição, anistia àqueles militares que estejam descumprindo os seus deveres e juramentos”, informou nota assinada pelo titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Francisco Bezerra, e pelo comandante geral da PM, coronel Werisleik Matias. A nota lembrou ainda que o movimento é “flagrantemente inconstitucional e caracteriza o cometimento de crime militar e infração militar”.

“O movimento ilegal que ocorre é extremamente precipitado e fortemente prejudicial à sociedade, que fica à mercê do incremento de crimes, frente à omissão de homens que juraram protegê-la. O Governo do Estado tem ciência do dever de proteger a sociedade e está adotando todas as medidas para que a ordem e a tranquilidade públicas sejam mantidas”, acrescentou a nota.

Para os dirigentes das associações que representam os policiais militares, a anistia dos PMs era considerada ponto fundamental para o término da paralisação. “Nossa posição é que, enquanto não tiver diálogo, a gente não arreda pé do quartel”, disse o presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Ceará (Aprospec), deputado estadual capitão Wagner Sousa.

Durante a manhã e a tarde de ontem, o capitão esteve na sede da 6ª Companhia do 5º Batalhão da PM, ponto de concentração dos manifestantes, que usavam máscaras e capuzes para esconder os rostos. No fim da tarde, os dirigentes das associações seguiram para a sede da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), onde participaram de reunião com a cúpula da Segurança Pública. Até o fechamento desta matéria, manifestantes e Governo não haviam entrado em acordo.

O POVO tentou saber como foi o atendimento das ocorrências policiais durante o dia de ontem. A reportagem entrou em contato com o titular da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), coronel Fernando Ávila, mas ele estava em reunião e não atendeu ao O POVO.

Saiba mais

A Prefeitura de Fortaleza informou, por meio da assessoria de imprensa, que contratará seguranças particulares para a festa do Réveillon, caso haja necessidade.

No último dia 17 de dezembro, o governador Cid Gomes foi abordado por manifestantes durante uma visita às obras do metrô de Fortaleza. O protesto era realizado por militares.

ENTENDA A NOTÍCIA
Anistia dos policiais que respondem processo disciplinar, retorno dos transferidos, reajuste salarial, promoções, carga de 40 horas semanais, inclusão da lei de assédio moral estão na pauta de reivindicações dos PMs.

Fonte: O Povo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s