Arquivos Diários: 8 de Maio de 2012

Cearense é a primeira travesti a apresentar uma tese de doutorado no Brasil


A cearense Luma Andrade é a primeira travesti a apresentar uma tese de doutorado no Brasil (Foto: Divulgação)
A cearense Luma Andrade será a primeira travesti do Brasil a apresentar uma tese de doutorado, segundo informa a ABGLT (Associação Brasileiras de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros). Graduada em ciências naturais pela Uece (Universidade Estadual do Ceará) e com mestrado na área do desenvolvimento do meio ambiente pela Uern (Universidade Federal do Rio Grande), agora, aos 35 anos, ela é doutoranda em educação pela UFC (Universidade Federal do Ceará).

Para obter o título de doutora, ela se inspirou na própria realidade e produziu um estudo baseado no acesso das travestis (homossexuais que se vestem como mulheres) cearenses à educação. “Pude constatar que está havendo um aumento do acesso e também da procura pela escola, mas ainda há resistências como a discriminação, bullying e a marginalização”, disse.

Resistência, aliás, é uma palavra ou até mesmo um sentimento muito conhecido por Luma. “Desde os oito anos de idade que convivo com isso. Já cheguei a apanhar na escola e ouvir da professora que era bem feito”, contou.

Mesmo assim, ela disse que focou a atenção para os estudos e usou sua aptidão para as ciências exatas como uma aliada na conquista de amigos e de respeito dos colegas. “Eu sabia matemática e fiz com que isso me ajudasse. Passei a dar aulas para os colegas e eles passaram a ser meus amigos”, disse.

Em casa ela usou a mesma estratégia de focar a atenção para os estudos, na hora de responder os questionamentos dos pais, dois agricultores analfabetos que não a discriminavam, mas sempre perguntavam por uma namorada, principalmente no período da adolescência.

Já adulta, chegou a ir, nos primeiros dias, para o campus da Universidade Federal do Ceará, no município de Limoeiro do Norte, onde concluiu a graduação, vestida com roupas masculinas para evitar situações de preconceito e constrangimento, mas a estratégia não deu certo. No primeiro dia de aula, ela conta que foi uma chacota geral, mas, depois que resolveu usar roupas femininas, as pessoas a conheceram melhor e ela começou a ser aceita. “De início foi uma decepção, pois achava que na universidade as pessoas eram mais maduras”, disse.

Início na vida profissional foi marcado por dificuldades

Depois de formada, Luma recebeu o convite de um ex-professor da faculdade para dar aula em uma escola, mas o que parecia ser uma grande oportunidade, na verdade foi um grande teste.

“Era terrível, os dirigentes e outros professores ficavam atrás das portas assistindo à minha aula. Os alunos também ficavam rindo e muitos gritavam: gay, viado (sic), dentre outros palavrões. No fundo, eles achavam que a minha aula (de ciências naturais) ia ser uma palhaçada, mas sempre no primeiro dia, eu contava a minha história de vida e ganhava fãs e aliados. Eles também são pobres, nordestinos e sonham com dias melhores. “Além disso, sempre mantive postura, seriedade para lecionar, o que foi fundamental para adquirir o respeito de alunos e colegas”, completa.

Depois de conquistar estabilidade e ser aprovada em concurso público na área de Educação, Luma passou na seleção de um mestrado em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e a cidade cearense mais próxima era Aracati. “Começou tudo de novo, tive que voltar à estaca zero”, disse Luma que precisou pedir uma intervenção da Secretaria Estadual da Educação do Ceará para ser admitida em concurso que havia sido a única pessoa a ser aprovada. “A minha nomeação era sempre protelada sem que um motivo fosse alegado”.

Anos depois, em 2005, desenvolveu o projeto “Intimamente Mulher” que incentivava alunas e professoras a fazer exames de prevenção que lhe rendeu o primeiro lugar no Estado e um prêmio no Ministério da Educação.

Atualmente, Luma está casada com um professor de História, realiza palestras, é constantemente convidada para ser madrinha de formaturas e passeatas, além de presidir a Associação Russana de Diversidade Humana, na cidade de Russas, a 165 km de Fortaleza.

Tese de doutorado

Essas e outras barreiras enfrentadas por travestis foram relatadas na tese da doutoranda, que aponta alguns entraves enfrentados por travestis nos ensinos médio, fundamental e superior. “Uma coisa é o nome, onde muitos professores fazem questão de gerar um constrangimento as chamando pelo nome de batismo, outra é a utilização do banheiro, onde somos obrigadas a usar os sanitários masculinos, o que é muito desagradável, pois as travestis acabam sendo vítimas de muita gozação, agressões físicas, tentativas de estupro e isso tudo faz com que elas deixem a escola”, disse ela que há dois anos conseguiu mudar os documentos e abandonar o antigo nome de João.

O uso do banheiro por parte das travestis é um dos capítulos da tese de Luma. Ela disse que prendia a urina e só ia ao banheiro depois que chegava em casa, o que lhe rendeu, à época dores abdominais, dilatação da bexiga, além do desconforto no momento em que assistia a aula. “Muitas vezes eu perdia a concentração”, resume.

Realidades diferentes no interior e nos grandes centros

Na apuração para a produção da tese de doutorado, Luma Andrade, estudou 95 casos em todo o Ceará, mas três cidades tiveram maior destaque: Fortaleza, Russas e Tabuleiro do Norte. Nos municípios, ela encontrou duas realidades diferentes.

Na capital, mesmo com uma maior oferta de estabelecimentos educacionais, as travestis quase não têm acesso à educação e a maioria se concentra em zonas de prostituição no centro e na orla da cidade. Já em Russas e em Tabuleiro do Norte, ela acompanhou de perto a história de três travestis que freqüentavam aulas em escolas de ensino fundamental e médio. “Por incrível que pareça, no interior elas são mais acolhidas e o preconceito é menor, pois elas conseguem viver no ambiente da família, sem precisar se prostituir. É possível ver travestis trabalhando no comércio como vendedoras e em diversas atividades”, observa.

Outra coisa que chamou a atenção da doutoranda foi o fato de muitos dirigentes escolares e educadores não saberem distinguir uma travesti de um homossexual. Segundo o manual de comunicação da Associação Brasileiras de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros (ABGLT), “um travesti é a pessoa que nasce do sexo masculino ou feminino, mas que tem sua identidade de gênero oposta ao seu sexo biológico, assumindo papéis de gênero diferentes daquele imposto pela sociedade”. Já um homossexual é, segundo o documento, “a pessoa que se sente atraída sexual, emocional ou afetivamente por pessoas do mesmo sexo/gênero”.

Fonte: UOL

Barbalha-CE: Dupla encontrada com drogas na CE-060


Fonte: Miséria Demontier Tenório

Dois homens foram trazidos para a Delegacia de Juazeiro do Norte após serem abordados por volta das 21 horas desta segunda-feira na CE-060, rodovia que liga os municípios de Barbalha e Jardim. Francisco Paulo Silva de Sá, de 36, e Iago dos Santos Rocha, de 20 anos, trafegavam em uma motocicleta e conduziam duas trouxinhas de maconha. A abordagem da moto Yamaha YBR 125E de cor preta, ano 2008, e placa HYW-8054, inscrição do Ceará, se deu à altura do bairro Pré-Holandia de Barbalha.

De acordo com os Soldados Sócrates, Portela, Aquino, Neves e Matias foi feito um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) contra ambos na Delegacia por uso de drogas. Francisco mora no Sítio Pinheiros e Iago no Sítio Piquet, ambos no Distrito de Caldas. A motocicleta foi recolhida ao pátio do Detran de Juazeiro por estar em débito com o licenciamento e IPVA, além de conter multa.

FURTOS E ROUBOS – O movimento policial das últimas 24 horas foi considerado tranqüilo com poucas ocorrências. Na loja Empresta que funciona na Rua Santa Luzia no centro de Juazeiro, a gerente Ana Najara Vieira avisou à polícia sobre o furto de um notebook, uma sanduicheira, um ferro de engomar e R$ 90,00 em dinheiro. Na Rua Roseira de Lemos (Vila Fátima), dois homens armados em uma moto tomaram de Carlos Nascimento, de 49 anos, sua carteira com R$ 200,00 e um celular. Já no cruzamento das Ruas Santa Cecília e Leão XIII (Salesianos), uma jovem de 18 anos teve o seu celular roubado por uma dupla armada que viajava em uma motoneta.

Veja making of do ensaio de Larissa Riquelme

Em Friburgo, CPI diz que houve desvio até em verba para transporte escolar


A CPI que investiga a aplicação de R$ 22 milhões repassados à Prefeitura de Nova Friburgo para a recuperação da cidade, após as chuvas de 2011, encontrou irregularidades também em contratos para o transporte escolar no município da Região Serrana. Na CPI da Tragédia, concluída há cinco meses pela Câmara Municipal, foi descoberto um gasto de R$ 775 mil no programa que leva alunos da rede municipal de áreas rurais para regiões centrais de Friburgo.

O dinheiro foi gasto somente em 40 dias. O valor surpreendeu os vereadores, pois a quantia é considerada incompatível com a simples tarefa de levar e buscar os alunos de escolas municipais em cinco áreas da cidade.

— Para a comissão, um dos trechos mais absurdos do inquérito são as quilometragens apresentadas nos contratos da Secretaria de Educação para transporte escolar. Parece uma piada — afirmou o vereador relator da comissão, Pierre Moraes.

Uma única empresa

A contratação da empresa Caminhos Dourados LTDA custou aos cofres públicos R$ 775 mil. Para justificar o alto valor pago, o governo alegou que as vans e ônibus que ainda prestam serviço à Secretaria de Educação de Friburgo teriam percorrido cerca de 8.500km por dia de aula. Isso é o suficiente para ir e voltar do Oiapoque ao Chuí em linha reta, os pontos mais extremos do Brasil.

Em 40 dias, a simples tarefa de buscar e levar alunos da rede municipal em suas casas equivaleria a um trajeto de 342.520km, ou algo próximo à distância entre a Terra e a Lua.

Por fim, se forem considerados os 200 dias de aula do período letivo, os veículos da Caminhos Dourados LTDA. correriam cerca de 1.712.600km, o mesmo que 20 voltas ao mundo.

Apesar das discrepâncias, há poucos meses, Marcelo Verly, responsável pela Secretaria de Educação, e também vereador, usou o púlpito da Câmara para discursar sobre a idoneidade administrativa de sua gestão:

— Embora eu considere de alto custo o serviço de transporte escolar terceirizado, a qualidade tem sido excelente. Enviei e-mails para diversas empresas visando ampliar a concorrência na licitação realizada, mas apenas uma compareceu — defendeu o secretário.

A Caminhos Dourados Ltda-Me presta serviços à prefeitura há seis anos e já foi citada em análises do Tribunal de Contas do Estado, por suspeita de superfaturamento.

Sem licitação

Além do transporte escolar, a CPI também investigou contratos sem licitação feitos pela Secretaria municipal de Assistência Social.

— As empresas contratadas por essa pasta não participaram de licitação. E isso é previsto como crime pela lei — disse Pierre Moraes.

Os vereadores consideraram suspeitos gastos no valor de R$ 300 mil, quantia que poderia ser usada na construção de cinco novas casas para as famílias desabrigadas.

http://extra.globo.com/

De biquíni, Maria Melilo exibe corpão e declara: ‘Tem dia que quero ser mais menininha’


Para fugir de apelidos como Olívia Palito no colégio, Maria Melilo começou a malhar. Quando era adolescente, a integrante do “Casseta & planeta” era muito magrinha, resolveu ganhar massa muscular e acabou se apaixonando pela ginástica.

“Hoje não consigo viver sem fazer musculação. Atualmente, tento treinar três vezes por semana. Mas nem sempre isso é possível por causa das gravações do programa”, conta à revista “Plástica & beleza”.

Hoje, a morena já conquistou um corpo de dar inveja. Ela tem cintura fina, coxas torneadas, bumbum arrebitado e um abdômen chapado. Mas não se sente um mulherão.

“Definitivamente, não me sinto um mulherão 24 horas por dia. Algumas vezes quero fazer mais a linha menininha e saio de casa de jeans, tênis e camiseta. Em outros momentos, quero fazer uma maquiagem mais caprichada… Tudo vai depender do meu humor”.

A alimentação é balanceada desde a juventude.

“Minha mãe é médica e sempre frisou a importância de uma dieta saudável para o nosso bem-estar. Mas se eu tenho vontade de comer alguma coisa mais gordinha, não me privo. A gente tem de ser feliz. Sou eu quem domino a minha comida, e não ao contrário! Não sou nem louca de abusar de alimentos que não são saudáveis. A alimentação é responsável, na minha opinião, por quase 90% do resultado de um corpo bonito”.

E Maria confessa que fez um retoque especial.

“Coloquei próteses de 240 ml e adorei o resultado. Resolvi fazer a cirugia porque, apesar do meu corpo estar em forma, as roupas não tinham um caimento bacana. Esse retoque foi essencial para eu me sentir supersatisfeita com meu corpo.”

http://extra.globo.com/

Operário morre após barranco desabar

Este slideshow necessita de JavaScript.


Um operário morreu na manhã desta segunda-feira (07), em Itabuna, após um barranco da obra na qual ele trabalhava desabar. No momento do acidente, que ocorreu no Parque São João, a vítima trabalhava com m martelo eletrônico. Adailton Gonçalves dos Reis, de 28 anos, ficou soterrado e morreu.
O Corpo de bombeiros esteve no local para realizar a retirada do corpo. A ação precisou ser realizada com grande cautela, uma vez que havia riscos de novos desabamentos. O presidente do Sintracom também esteve no local e conversou com outros operários. Em entrevista ao Radar, ele afirmou que os trabalhadores estavam atuando sem equipamentos necessários, o que colaborou com a tragédia. Adailton deixou esposa e filha.

fonte radar noticias

Desconhecido é encontrado morto a facadas


O corpo de Maricélio Ferreira Mariano, 28 anos, foi encontrado às margens da maré na madrugada desta terça-feira (8) na comunidade São Lourenço, em Bayeux, por moradores que acionaram a polícia.
De acordo com informações polícia, dois homens em uma moto preta foram vistos pelo local na noite de ontem (7). Moradores da comunidade informaram que a vítima não é morador do bairro, nem nunca foi visto na área.
O homem foi assassinado com golpes de arma branca desferidos na cabeça.
Segundo o soldado Malta, da 2ª Cia, a polícia acredita que a vítima tenha sido atraída para o famoso “cheiro do queijo”. O crime pode estar relacionado acerto de contas motivado com divida de drogas.
O crime será investigado pela 5ª Delegacia Distrital da cidade metropolitana de Bayeux.

FONTE PLANTAO 190 PB

GRAVE ACIDENTE DEIXA UMA PESSOA MORTA E OUTRA EM ESTADO GRAVE EM MOSSORÓ


Ocorreu no inicio da manhã de domingo, 6 de Maio de 2012, no Conjunto Três Vinténs, no bairro Abolição IV um gravíssimo acidente onde teve como vítima fatal um homem, e uma mulher saiu gravemente ferida.
Segundo informações colhidas pela polícia, às vítimas por nome de Antônio Carlos Mendes, conhecido como “Vovó” e a mulher conhecida apenas como Camila vinham em uma motocicleta tipo Fan de cor preta, placa NOF-8358 Mossoró, na Rua Lauro Lúcio da Silva, no sentido Abolição – Santa Delmira quando no cruzamento com a Rua Hilário Queiroz colidiu em um ônibus de locação, o motorista após a colisão se evadiu do local sem prestar socorro aos feridos. Algumas pessoas relataram no local que ambos vinham no mesmo sentido, mas a posição do ônibus diz que ele vinha na contramão pela Rua Hilário Queiroz saindo da garagem.
Com a violência do impacto, as vítimas ficaram presas à roda traseira direita do ônibus, sendo necessário a intervenção da equipe do Corpo de Bombeiros, que com os equipamentos conseguiram retirar as vítimas debaixo do pneu. Camila sofreu fratura exposta nas duas pernas, ferimentos graves na cabeça e foi socorrida pela equipe ALFA do SAMU em estado grave para o Hospital Regional Tarcísio Maia, já Antônio quebrou o pescoço e teve afundamento de crânio e morreu antes da chegado do socorro médico.

Equipes do trânsito do 2°DPRE foram acionadas assim também como o ITEP para os procedimentos de perícia.

FONTE: BLOG PASSANDO NA HORA

Modelo vai sem calcinha e sem sutiã a baile de gala em Nova York


Anja Rubik ousou no look para ir a evento realizado no The Metropolitan Museum of Art.

Anja Rubik resolveu polemizar. A modelo polonesa foi sem calcinha e sem sutiã ao baile de gala no The Metropolitan Museum of Art, em Nova York, nos EUA. O vestido ousado, com uma enorme fenda na perna, revelava que Anja dispensou a calcinha para ir ao evento realizado nesta segunda-feira, 7.

Fonte: Notícias Quentes

Ministério Público abre investigação para apurar suposto racismo em música de Alexandre Pires


A música, composta por Alexandre Pires e Cláudio Rosa (e que tem Neymar no clipe), foi divulgada em janeiro deste ano (Foto: Divulgação)

O procurador da República em Uberlândia (556 km de Belo Horizonte) Frederico Pelucci instaurou procedimento administrativo para investigar denúncia de suposta discriminação racial na música “Kong” do cantor Alexandre Pires. O clipe, que tem no cenário homens fantasiados de macacos e mulheres seminuas próximo a uma piscina, tem participação do jogador de futebol Neymar, do funkeiro Mr. Catra, de David Brazil e foi dirigido por Maurício Eça.

Segundo a assessoria de comunicação do Ministério Público Federal, representantes do Movimento Negro encaminharam a denúncia no início da semana passada por meio da Ouvidoria Nacional da Igualdade Racial. Os representantes entenderam que a letra, que diz “o bonde do Kong não vacila. É instinto animal de leão com pegada de gorila”, compara negros aos macacos.

De acordo com o documento, a letra da música e o clipe têm conteúdos racistas e sexistas que “compromete as lutas do movimento negro na superação do racismo e no movimento das mulheres na superação do sexismo”. Em outro trecho, o documento diz que combinando artistas e atletas, o clipe utiliza clichês contra a população negra e que “reforça estereótipos equivocados das mulheres como símbolo sexual”.

O cantor Alexandre Pires foi ouvido pelo procurador no dia 3 de maio. Durante o depoimento, de acordo com o advogado do cantor, Neto Caixeta, Alexandre Pires negou que tenha agido de má-fé e que a letra tenha conteúdo racista. “Tanto o Alexandre quanto os outros autores da música estão tranquilos, porque a letra e o clipe são desprovidos de racismo”, afirmou.

O advogado disse ainda que os denunciantes tiveram interpretação equivocada da canção e que a denúncia não tem procedência. “O Alexandre [Pires] é defensor do Movimento Negro. A maioria dos participantes do clipe é negra. Jamais teve intenção de ofender.”

Até o momento, apenas o cantor foi ouvido pelo Ministério Público Federal e, mesmo com o procedimento instaurado, o procurador informou por meio do escrivão que os fatos estão em apuração e que, por enquanto, não deve se pronunciar sobre o caso.

A reportagem tentou falar com representantes do Movimento Negro, mas não obteve resposta.

Fonte: UOL