Daily Archives: 18 de Janeiro de 2013

Juazeiro do Norte-CE: Homicídios cresceram 77,4% no ano passado

20130118060041_capa
Demontier Tenório//miseria.com.br
2012 fechou com 133 homicídios. (Foto: Arquivo/Chinês/Agência Miséria)
O ano terminou com um saldo bastante violento em se tratando de homicídios em Juazeiro do Norte. Foram 58 assassinatos a mais numa comparação com 2011 quando 75 pessoas tombaram mortas. Já 2012 fechou com 133 homicídios. O levantamento do Site Miséria apresenta três a mais em relação a estatística oficial da Secretaria de Segurança Pública do Ceará. Por isso, para não restar dúvidas, esse portal de notícias apresenta abaixo a relação de todos que foram assassinados no ano passado.

Desse total, a estatística do Site Miséria revela que 89,47% (119) foram praticados com armas de fogo ou oito pontos percentuais além de 2011. Já 6,76% (09) aconteceram com armas brancas. O levantamento exclusivo mostra ainda três homicídios a pauladas, um por asfixia e outro motivado por uma queda após um empurrão contra a vítima.

O maior período sem o registro de homicídios foi de apenas 18 dias o que, em 2012, aconteceu de 18 a 26 de julho. Evidente que a média de assassinatos por dia também cresceu passando de 0,2 para 0,36 a exemplo da média mensal em Juazeiro que subiu de 6,25 mortes para 11 a cada mês. A maioria dos casos tem envolvimento com o submundo do crime ostentando motivos como acerto de contas, vingança, queima de arquivo e rixas antigas.

O mês de setembro foi o mais violento com 19 homicídios em 2012 enquanto abril foi o mais tranqüilo com quatro assassinatos. De acordo com o balanço do Miséria, a situação foi a seguinte: Setembro (19); Janeiro, Junho e Novembro (15); dezembro (14); Maio (12); Agosto (11); Março (09); Julho (08); Outubro (06); Fevereiro (05) e o mês de abril com quatro homicídios. Em nível de Ceará, foram 3.565 assassinatos contra 2.667 em 2011 e 2.700 em 2010. Confira a relação das 133 pessoas assassinadas no ano passado em Juazeiro:

JANEIRO (15 homicídios)

Dia 01 – Cícero Junior Clementino Pinheiro, de 26 anos, mototaxista, que residia na Rua São José no Centro, foi assassinado com quatro tiros de revólver no cruzamento das ruas do Rosário e Alencar Peixoto (Socorro), onde discutiu com “Painho” por causa de um som alto o qual retornou com mais sete pessoas em quatro motos.

Dia 01 – Paulo Januário da Silva, de 26 anos, que residia na Rua 7 de Setembro, 120 (Bairro Pio XII), foi morto a tiros de revólver e teve o seu corpo encontrado por populares na Avenida João Dias de Oliveira (Pedrinhas) perto do condomínio Conviver.

Dia 02 – Cícero Rodrigues de Souza, de 23 anos, vendedor, que residia na Rua João Conrado Cruz, 25 (Bairro João Cabral), perto da Feira da Troca, foi morto com 10 tiros de revólver em frente à sua residência por dois homens que trafegavam em um FIAT de cor prata. O mesmo já respondia por furto.

Dia 03 – Cícero Hélio Pinheiro da Silva, de 21 anos, o “Tambor”, que residia na Avenida Nossa Senhora Aparecida, 753 (Bairro João Cabral), foi assassinado com vários tiros perto de sua casa. Ele já respondia por homicídio, assaltos e tráfico de drogas.

Dia 03 – Vlaudemir Neco da Silva, de 31 anos, vendedor, que residia na Rua Todos os Santos (Bairro Romeirão), foi morto com três tiros de revólver nas imediações da Rua Farias Brito daquele bairro. Ele havia ameaçados os indivíduos que tinham matado o seu cunhado.

Dia 06 – Emanuel de Souza Gonçalves, de 27 anos, foi assassinado com uma facada no peito quando trafegava a pé pela Rua Mascarenhas de Moraes (Juvêncio Santana). Ele faleceu nos braços do seu irmão, Raimundo Nonato, que ouviu os gritos dele.

Dia 06 – Davy Daniel Lima da Silva, de 17 anos, foi assassinado a tiros no abdômen quando chegava em casa na Rua Perpétua Carneiro da Cunha, 963 (João Cabral). Ele foi atingido por dois indivíduos que trafegavam em uma moto Honda Broz de cor preta e era irmão de Sueli assassinada no dia 17 de abril de 2010 com 23 tiros de revólver após envolvimento na morte do traficante Zé das Patas.

Dia 14 – Cícero da Silva, de 27 anos, que residia na Rua Francisco Filgueira Cruz (Timbaúbas), foi morto com um tiro no peito quando estava em uma bar perto de sua casa. Os disparos foram efetuados por dois indivíduos que trafegavam em uma moto preta e a própria vítima ainda os identificou pelos apelidos de Cabeção e Galeguim.

Dia 21 – Lailson de Souza Almeida, de 15 anos, foi alvejado por duas balas perdidas que o atingiram no abdômen e morreu na Clínica São José. Ele passava pela Rua João Correia de Oliveira (Juvêncio Santana), quando quatro indivíduos em duas motos atiraram para Renê da Silva Dias, o Renê das Malvas que saiu baleado a exemplo do pai da vítima LenilsonPires de Souza Almeida, de 40 anos. Os autores são parentes de Zé Ferreira.

Dia 23 – José Tiago Soares de Oliveira, de 24 anos, o Tiago de Lela industriário do ramo de calçados que residia no Socorro, foi morto com três tiros no cruzamento da Rua das Dores com a Avenida Caruaru (Salesianos). Os autores trafegavam em um Celta vermelho e um dos acusados foi identificado pelo apelido de Zé Fofinho. A vítima já tinha passagens pela polícia.

Dia 26 – Jorge Fernandes Souza, de 28 anos, que residia na Rua José Inácio, 352 (Triângulo), foi morto com uma facada no peito esquerdo. O corpo foi encontrado no cruzamento da Rua Pinto Madeira com a Avenida Aílton Gomes (Bairro Pirajá).

Dia 26 – Cristiano dos Santos, de 41 anos, que residia na Rua Francisco Neudo Cruz na localidade de Vila Nova (Pedrinhas). Ele morreu no Hospital Regional do Cariri, onde estava internado desde o dia 15 de janeiro após ter sido abordado, na rua em que morava, por um indivíduo que deu uma facada no seu tórax e fugiu.

Dia 28 – Cícero Dyego da Silva, de 16 anos, foi morto no cruzamento das ruas José Nicolau dos Santos e Manoel Tavares Lopes (Frei Damião) por dois indivíduos em uma moto preta os quais atiraram nas costas e na perna. Ele morava naquele bairro e já respondia por crime de lesão corporal morrendo no HRC. Os acusados são dois jovens de iniciais M. D. S. A., de 18 e L. O. S., de 17 anos presos no dia 31 de janeiro de 2012.

Dia 28 – Manoel de Souza, de 46 anos, foi morto no cruzamento da Avenida Carlos Cruz com a Rua da Luz (São Miguel), por um indivíduo que trafegava em uma moto Honda Pop de cor vermelha. Ele morava naquele bairro e foi atingido a tiros duas vezes no abdômen, uma na perna e outra na virilha. A vítima morreu no HRC e já respondia por crime de lesão corporal e Violência Doméstica e familiar contra a mulher.

Dia 29 – Cícera Maria Francelino, de 42 anos, foi abordada por um indivíduo em uma moto Yamaha XTZ de cor azul no cruzamento das ruas Radialista Coelho Alves e Sebastião Mariano (Tiradentes). Ela retornava da PIRC onde tinha visitado o esposo e foi alvejada com três tiros, sendo um na cabeça e os outros no tórax e coxa direita morrendo no HRC.

FEVEREIRO (05 homicídios)

Dia 02 – Edvan Nogueira Albuquerque Silva, de 37 anos, ex-topiqueiro, que residia na Avenida Ailton Gomes (Pirajá), foi morto com dois tiros de revólver na cabeça e nas costas no interior do Bar do Sem Gogó na Rua Joaquim de Souza Menezes (João Cabral), pelo vigilante José Melquizedec Correa Lima, de 36 anos, preso em flagrante com a arma. Ele bebia e a vítima chegou para se alimentar quando teve uma discussão.

Dia 06 – Cosma Campos Sales, de 41 anos, a Tica, que residia na Rua Oswaldo Jucá Neto, 269 (Frei Damião), foi morta a tiros na calçada da vizinha conversando com a mesma. Ali chegaram dois indivíduos em uma motocicleta Honda Fan de cor preta atirando. Ela era tia de Ricardo Feitosa que matou o Soldado Evandro e foi morto em Alagoas e suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas.

Dia 12 – Francisco Jailson Honorato de Lima, de 23 anos, que residia na Rua Nossa Senhora Aparecida, 340 (João Cabral) foi morto com seis tiros de revólver quando passava em sua motoneta Honda na Rua Azarias Sobreira, imediações do MD Festas (Tiradentes). As suspeitas recaem sobre um homem apelidado por Mimito com quem Jailson tinha rixas e já fora ameaçado de morte.

Dia 14 – José Élson Bezerra Ferreira, de 35 anos, que residia na Rua Otília Gomes Sousa (Leandro Bezerra), foi morto com dois tiros de revólver na cabeça quando estava em frente à sua casa onde chegou um homem apelidado por Negão que atirou e fugiu em uma moto Twister de cor escura.

Dia 29 – Francisco Erivaldo de Oliveira, de 44 anos, pedreiro, que morava na Rua Manoel Barreto da Silva (Aeroporto), foi morto com seis tiros de revólver calibre 38 quando chegava em casa das obras de ampliação do Aeroporto. O móvel do crime teria sido um débito de R$ 50,00 com o aluguel da casa onde morava com sua amante.

MARÇO (09 homicídios)

Dia 05 – Jhone de Souza Silva, de 19 anos, que residia no bairro Frei Damião, foi morto com três tiros de revólver na Rua Severina Lindava Soares daquele bairro por dois homens em uma moto Honda Bros preta apoiados por um Gol Bola. Seu irmão Antonio Souza da Silva, de 22 anos, saiu lesionado no braço.

Dia 08 – Leandro Alexandre da Silva, de 22 anos, o ex-presidiário Bob que residia na Rua Formosa, 582 (Pio XII), foi morto com dois tiros de revólver na cabeça por José Alves. Ele teria emprestado dinheiro para a vítima pagar advogado e se livrar da prisão, mas a demora no pagamento foi o móvel do homicídio. A própria família da vítima negou, depois, o envolvimento de José Alves.

Dia 11 – Anderson dos Reis de Vargas, de 27 anos, foi morto com três tiros de revólver na cabeça e no pescoço quando estava no Caldo da Tia que funciona no cruzamento da Avenida Castelo Branco com a Rua São Pedro (Romeirão). Ele já respondia por furto e roubo e foi morto por duas pessoas que fugiram em moto Honda NXR 150 Bros de cor preta, mas terminaram presos no cruzamento da Avenida Aílton Gomes com Campos Elísios (Franciscanos). F. A. P de Lima, de 37 anos, residente na Vila Fátima e C. F. M, de 44 anos, residente no bairro Salesianos, autor dos disparos.

Dia 16 – Márcio Vieira Marques, de 29 anos, que residia na Rua Roque dos Santos, 185 (Tiradentes), foi assassinado com uma facada na garganta caindo na Rua Odorico Soares Campos daquele bairro. Ele cursava Educação Física na Urca e trabalhava como mototaxista. O autor foi o dono do Bar do Cajueiro e de uma borracharia, Maurício Cavalcante Lobo, apelidado por Manco em virtude de deficiência física.

Dia 18 – Maria Auxiliadora dos Santos Gonçalves, de 55 anos, foi morta pelo marido, o mototaxista Vicente Gonçalves, de 65 anos, com um tiro na face. O crime aconteceu dentro de casa na Rua Pio X, 57 (Salesianos). Vicente estava embriagado, comunicou o homicídio à vizinhança chorando e foi preso em flagrante com a arma.

Dia 18 – João Paulo dos Santos, de 29 anos, que residia na Rua Jacobina de Souza (Frei Damião), foi assassinado com dois tiros no rosto por conta de rixas quando trafegava pela Rua Luciano Torres de Melo (Jardim Gonzaga). Os autores seriam Rafael Gabriel e Orlean, residentes no Frei Damião, que fugiram em uma moto.

Dia 22 – Rosilene Gonçalves, de 24 anos, a Rosy, que residia na Rua Valdomiro Marçal (Triângulo), foi morta a golpes de faca e o corpo encontrado sob uma árvore no cruzamento das ruas Elísio Gonçalves e Celso Campos (Triângulo), imediações da Verde Vale Veículos. Existe toda uma conotação de crime passional.

Dia 23 – Vandieri Lima dos Santos, de 11 anos, a Bebê, que residia na Rua Farias Brito (João Cabral), foi estuprada, morta asfixiada e teve o corpo abandonado ao lado de uma das trilhas do Parque Ecológico das Timbaúbas (João Cabral). Ela saiu de casa na noite anterior na companhia de Marcônyo Francisco da Silva, de 25 anos, residente na Avenida Paraíba (João Cabral), que foi preso em casa.

Dia 31 – Cícero Jonas de França Alves, de 21 anos, foi morto no Conjunto Prourb, imediações da Igreja Assembléia de Deus (Triângulo), com um tiro no peito esquerdo. Ele ainda passou por cirurgia no HRC. Tiago Sousa Fernandes, de 19 anos, residente naquele bairro foi o autor e atribuiu à vingança por conta de entrevero no réveillon.

ABRIL (04 homicídios)

Dia 03 – Edílson da Silva Gomes, de 48 anos, que residia na Rua José Esmeraldo Pinheiro, 67 (Bairro São José) e respondia por homicídio, foi morto com quatro tiros quando se encontrava na calçada do vizinho. Ele foi surpreendido por dois homens que chegaram em uma motoneta e um deles sacou um revólver efetuando os disparos.

Dia 05 – Francisco Ricardo Brilhante, de 19 anos, foi morto com dois tiros na cabeça quando passava no cruzamento das ruas Rui Barbosa e Assis Sobreira (Timbaúbas). Ele era viciado em drogas e foi surpreendido por dois homens que atiraram e fugiram.

Dia 15 – Lucivaldo da Silva Araújo, de 30 anos, que residia na Rua Ladislau de Arruda Campos (Antonio Vieira), foi morto com três tiros por um homem que chegou a pé e sem camisa na Rua Antônio Domingos, onde conversava com sua esposa. Ele morreu no HRC durante cirurgia a que se submetia.

Dia 27 – Cícero Martins Menezes, de 28 anos, o Besouro, que residia na Rua Beatriz Maria da Costa, 40 na Vila Nova (Bairro Pedrinhas), foi morto com cinco tiros de revólver dentro de sua casa quando almoçava com a esposa por dois homens em uma moto que invadiram o imóvel. Um dos suspeitos é “Degenildo”, residente na Rua João Paulo I (Timbaúbas).

MAIO (12 Homicídios)

Dia 01 – José Daniel de Lima Silva, de 25 anos, que morava na Rua Vereador Antônio Brás, 20 (Limoeiro), foi morto com dois tiros no abdômen no cruzamento das ruas São Mamede e 22 de Julho (Pio XII) por dois homens em uma moto Honda Bros.

Dia 01 – Edilmar Soares Sobreira, 32 anos, que residia na Rua 1º de Maio, 995 (Limoeiro), foi morto com 11 tiros no cruzamento da Rua Vereador Antônio Brás com a Avenida José Bezerra (Limoeiro), por dois homens em um moto Honda Broz de cor branca.

Dia 05 – Elias Justino da Silva, de 21 anos, que residia na Rua Assis Sobreira 154 (Timbaúbas), foi assassinado com três tiros nas costas e um na cabeça por dois homens encapuzados que trafegavam em uma moto escura pela Rua José Luiz Siebra, imediações do Mercantil Econômico, naquele bairro.

Dia 07 – Cicélio Sales Rocha, de 33 anos, que residia na Rua Coronel Botelho no centro de Caririaçu, foi morto com sete tiros de pistola dentro de uma Topic na qual trabalhava como cobrador. Ele almoçava e foi surpreendido por dois homens que estacionaram a moto ao lado do carro parado nas imediações da Matriz (Centro).

Dia 17 – Carlos Alberto Félix, de 38 anos, servente de pedreiro que residia na Rua Elisa Pereira Lacerda na localidade conhecida como Cidade de Deus (Bairro São José), foi morto com cinco tiros de revólver nas costas e na cabeça por dois homens em uma moto Honda Bros vermelha quando passava pela Rua Luiza Geraldo daquele lugar. O motivo teria sido débito com traficantes de drogas.

Dia 18 – Cristiano de Almeida Braz, de 26 anos, foi morto com um tiro na testa por Gilson Pedro da Silva, de 37 anos. Ele estava bebendo com quatro amigos no Ponto da Carne Assada no Mercado do Pirajá e todos foram atingidos à bala.

Dia 18 – Ednaldo Davi de Brito, de 26 anos, foi morto com cinco tiros dentro de sua casa na Rua Marechal Dutra, 244 (Bairro Pio XII) por dois homens que chegaram a pé. Ele tinha saído neste dia da cadeia, onde passou três anos por tráfico de drogas.

Dia 18 – José Joaquim de Souza, de 29 anos, que residiana Rua Francisca Leila Boaventura, imediações da Singer (Triângulo), foi morto dentro de casa por três homens em uma Hilux de cor escura. Ele ainda correu para o quintal tentando pular o muro, mas tombou morto em cima da lavandeira. A vítima respondia por homicídio.

Dia 20 – Carlos Samuel de Oliveira Lima, de 29 anos, que residia na Rua Edivaldo Furtado, 310 (Triângulo) foi morto dentro de um bar no cruzamento das ruas Valdomiro Marçal e Socorro Norões daquele bairro. Dois homens chegaram e o atraíram para fora atirando no tórax. Ele respondia porte ilegal de arma de fogo e uso de drogas

Dia 23 – Fernando Lourenço Feitosa, de 26 anos, que residia na Rua Francisca Pereira, 40 (Frei Damião), foi morto com dois tiros no peito esquerdo quando jogava baralho na calçada. Dois homens chegaram em uma moto Honda Bros de cor preta e atiraram lesionando ainda no pé Josimar Macedo Bezerra, de 27 anos.

Dia 28 – Eli Cláudio Gomes de Nascimento, de 21 anos, o Pinto, foi morto com um tiro na cabeça e dois no tórax em um comércio na Rua Osvaldo Juca Neto perto da esquina com a Rua Renan Felino (Bairro Frei Damião). Ele já respondia por roubos e ali chegaram dois homens em uma moto preta efetuando os disparos.

Dia 30 – Antonio Manuel Furtuoso, de 35 anos, o Paulista Mototaxista do Fórum, que residia na Rua Vereador Leônidas de Souza (Bairro Jardim Gonzaga), foi morto com tiros à queima roupa na cabeça. Ele já cumpriu pena por tráfico de drogas e passava na Rua Francisco Martins de Souza (Frei Damião) quando foi surpreendido por dois homens em outra moto.

JUNHO (15 homicídios)

Dia 02 – Reginaldo Valério da Silva, de 41 anos, que residia na Rua Virgínia de Mendonça, 405 (Bairro João Cabral), foi morto por motivos passionais com três tiros no tórax, no braço e nas costas por seu vizinho identificado apenas por João Maria o qual fugiu em uma moto.

Dia 05 – Francisco Daniel de Oliveira Ramos, de 34 anos, o Careca, ex-presidiário, que residia no Bairro São José, foi morto com quatro tiros na cabeça quando treinava para uma vaquejada no Parque de Eventos Padre Cícero (Bairro Planalto). Ele cumpriu pena na PIRC por tráfico de drogas e foi surpreendido por dois homens que chegaram em uma moto.

Dia 07 – José Wedson Lopes da Silva, de 22 anos, o Bu, que residia na Rua Francisca Martins de Souza (Frei Damião), foi morto com três tiros na cabeça, braço e tórax por dois homens em uma moto vermelha quando passava na Avenida Padre Cícero (Bairro Antonio Vieira). Ele morreu a caminho do Hospital Regional do Cariri.

Dia 09 – Almir Rocha da Silva, de 15 anos, o Nego Almir, que residia na Rua José Nicolau dos Santos (Frei Damião), foi morto com duas facadas no tórax no cruzamento das ruas Manoel Cassimiro e Francisco Monteiro (Triângulo). A namorada dele M. Y de L., de 15 anos, saiu ferida no braço pelo ex-presidiário Rafael da Silva Souza, de 20 anos, o “Rafa”, que mora na Rua Antonio Diu da Nóbrega (Triângulo). A vítima é suspeita de ter morto com uma facada, dia 10 de julho de 2011 no Parque da ExpoCrato, Marcos Simei Freitas Tavares, de 21 anos, que morava na Rua Presidente Vargas, 169 (Salesianos) em Juazeiro.

Dia 09 – Ronislan Alves Lima, de 25 anos, o Roni, que residia na Rua do Rosário, 06 (Bairro Socorro), foi morto com cinco tiros, sendo quatro no pescoço e um na perna por dois homens em uma moto preta quando passava na Rua Manoel Tavares Lopes (Bairro Frei Damião). A vítima respondia por crime de ameaça.

Dia 10 – Paulo Roberto Bezerra Soares, de 25 anos, o Teroso, foi morto com três tiros na face, ombro e barriga no cruzamento das Ruas Socorro Norões Mota e Valdomiro Marçal (Triângulo), imediações do mercado, por dois homens em uma moto. A vítima respondia por porte ilegal de arma e furto.

Dia 13 – Diego Romão da Silva, de 17 anos, o Diego Gordinho, que residia na Ana Roberta Cecé Coelho (Bairro José Geraldo da Cruz), foi morto com 9 tiros de pistola dentro de uma oficina mecânica na Avenida Paraíba, 41 (Bairro Pirajá). Ele tinha sido solto na noite anterior e assumiu quatro lesões corporais além de ser suspeito na morte do ex-presidiário Francisco Daniel de Oliveira Ramos, de 34, o Careca, dia 5 de junho no Parque de Eventos.

Dia 15 – José Luciano Laurintino de Souza, de 29 anos, que residia na Rua Domingos Sávio, 542 (Bairro Pio XII), foi morto com três tiros no abdômen, nas costas e no pé por quatro homens que chegaram em uma moto no cruzamento da Avenida José Bezerra com a Rua Domingos Sávio. Nesse mesmo local, no dia 25 de maio de 2012, ele já havia sido lesionado juntamente com a mulher e um amigo. Luciano respondia por dois roubos.

Dia 16 – José Deílton Tomaz dos Santos, de 27 anos, que residia na Rua Coronel Raul (Pio XII) foi morto com três tiros de revólver na Rua Luís Galvão Pereira (Timbaúbas) por um jovem com quem, supostamente, bebia em um bar nas imediações e estavam indo para casa quando surgiu uma discussão seguida da lesão corporal e morte.

Dia 20 – Francisco Idalécio da Silva Menezes, de 36 anos, foi morto a pauladas na cabeça e o corpo encontrado em um imóvel abandonado na Rua Raimundo Homem, 96 (Santa Tereza). Ele trabalhava como flanelinha nas imediações do Shopping e residia na Travessa Potengi (Bairro Seminário) em Crato.

Dia 23 – Jeovane Batista dos Santos, de 33 anos, foi morto com três tiros, sendo dois na face e um no tórax na Rua Teodomiro Rocha (Bairro Pio XII), por dois homens em uma moto Honda Fan. Foram vítimas de balas perdidas Antonio Pedro da Silva, de 67 anos, e uma adolescente de 17 anos e iniciais C. T. S., atingida de raspão na pena.

Dia 23 – José Ailton Dias Avelino, de 28 anos, que trabalhava vendendo jóias, foi morto a tiros em frente à casa de sua mãe na Rua Coronel Neri, 257 (Bairro Pio XII) quando acendia a fogueira de São João por dois homens armados em uma moto Honda Bros de cor preta.

Dia 24 – Manoel Messias Pereira da Silva, de 24 anos, que morava na Rua Virginia de Mendonça (Bairro João Cabral), foi morto com quatro tiros no tórax, ombro e dois na boca por dois homens armados em uma moto Yamaha Factor de cor preta no cruzamento das ruas José Andrade de Lavor e Pio Norões daquele bairro. A vítima respondia por crimes de porte ilegal de arma e tráfico de drogas.

Dia 28 – Maria das Graças Boaventura, de 62 anos, que residia na Rua Alencar Peixoto (Centro) de e era professora aposentada. Ela morreu no HRC dois dias após ser estuprada e ainda ser atingida na cabeça causando traumatismo craniano nas imediações do Mercado Central Governador Adauto Bezerra.

Dia 30 – Edpo Ferreira da Silva, de 23 anos, foi morto no cruzamento das ruas Domingos Sávio e Horácio Campelo (Timbaúbas) com cinco tiros e um deles transfixou o coração por um homem armado em uma moto Honda de cor prata identificado por Jackson que mora no Sítio Riachão.

JULHO (08 homicídios)

Dia 03 – José Flávio Alves de Siqueira, de 23 anos, foi morto com 20 tiros de revólver e pistola dentro de casa na Rua Domingos Rodrigues Barbosa, 618 (Bairro São José) por quatro homens em duas motos os quais arrombaram a porta. A vítima estava deitada em uma rede vendo TV e respondia por dois homicídios, furto, porte ilegal de arma, lesão corporal e crime de receptação.

Dia 08 – João Gleyson dos Santos, de 21 anos, que residia na Rua Severina Lindalva Soares (Frei Damião), foi morto com cinco tiros nas costas por dois homens em uma moto. A dupla abordou Gleyson, fez algumas perguntas e saiu. Pouco depois, os acusados retornaram indo ao encontro do rapaz que se aproximava de sua casa e o mataram . Ele tombou morto na calçada de um imóvel perto de sua casa.

Dia 26 – José Miguel Pantoja de Abreu, de 37 anos, que residia na Rua Osana Pereira, 882 (João Cabral) morreu no HRC nove dias após ter sido alvejado com quatro tiros perto de casa. Os acusados foram os primos apelidados por Totonho e Lozin residentes no cruzamento das ruas Rui Barbosa e José de Alencar os quais chegaram em uma moto Honda Bros vermelha.

Dia 27 – Eulano Ferreira da Silva, de 31 anos, que residia na Rua Coronel Neri (Pio XII), morreu no HRC após ser alvejado no dia anterior com dois tiros na cabeça na porta de casa, onde chegaram três homens cada um em sua moto. Dia 14 de julho um irmão dele, Eugênio da Silva, que devia R$ 10,00 a Marcelo foi alvejado a tiros por este.

Dia 27 – José Alisson Anselmo Formiga, de 20 anos, foi morto com um tiro na cabeça após assaltar um posto de gasolina em Barbalha e trocar tiros com a polícia na Avenida Aílton Gomes, imediações do Atacadão Rio do Peixe (Planalto). O comparsa dele, André Brenmer Azevedo Bezerra foi preso com um revólver e a moto vermelha usada no assalto.

Dia 29 – Francisco Valdefran Araújo Mendonça, de 23 anos, que residia na Rua Manoel Alves Tavares, 277 (São José), foi morto com dois tiros de pistola por dois homens em uma moto de cor preta dentro de seu carro minutos após sair do Bar Botequim e no semáforo do cruzamento das ruas Conceição e São Paulo (Centro).

Dia 29 – Paulo Manoel Pereira, de 26 anos, que residia no Sítio Taquari, foi morto com três tiros de revólver, sendo dois na boca e um no olho direito por um homem que chegou em uma moto Honda Biz vermelha e atirou na vítima que estava sentada na praça.

Dia 30 – Alexsandro Santos Nogueira, de 18 anos, vendedor que residia na Rua 22 de Julho, 791 (Franciscanos) foi alvejado com um tiro na nuca por um desconhecido no cruzamento da Avemida Aílton Gomes com a Rua Vereador José Rodrigues (Pirajá). Ele ainda foi submetido a uma cirurgia e morreu 30 horas depois no HRC.

AGOSTO (11 homicídios)

Dia 04 – Antonyell Martins Cardoso, de 21 anos, o Niel Playboy, residia na Rua São Luiz (Centro) e foi morto com seis tiros de pistola, sendo três na cabeça por dois homens que chegaram em uma moto Honda Biz vermelha. Ele caiu morto em um lava jato perto do cruzamento das ruas São Jorge e São Luiz (São Miguel). Niel era usuário de drogas e respondia por uma tentativa de homicídio.

Dia 05 – José Júnior da Silva, de 20 anos, que residia na Rua Maria Cassiano dos Santos (Frei Damião), foi morto na Rua Manoel Tavares Lopes daquele bairro com dois tiros de revólver. Uma irmã dele apontou como autor dos disparos uma pessoa apelidada por “Damela” que mora no mesmo bairro.

Dia 09 – José Neudes Aguiar, de 41 anos, que residia no Sítio Espinho e era vendedor de jóias, foi morto com cinco tiros na Rua São Paulo (Santa Tereza), por dois homens em uma moto Honda Bros de cor vermelha. Ele era acusado de envolvimento na morte de Cícero Lourenço de Menezes, de 26 anos, no Sítio Amaro Coelho (05/02/2011).

Dia 09 – Cícero Alberto dos Santos Silva, de 32 anos, que resida na Rua Abel Sobreira, 262 (Pirajá) foi morto cm sete tiros de revólver por dois homens em uma moto em um bar no cruzamento das ruas Valdemízio de Brito e Socorro Norões Mota (Triângulo). Ele já respondia por roubo, posse de arma, trafico de drogas, receptação e tentativa de homicídio.

Dia 10 – Tarciano Ribeiro de Sousa, de 23 anos, que residia na Rua Francisca Vieira (Timbaúbas), foi morto com quatro tiros quando jantava na calçada de sua residência por dois homens que chegaram em uma motocicleta. Ele já tinha passagens pela polícia e um dos suspeitos foi identificado apenas por “Samuel”.

Dia 11 – João Maria de Lima, de 36 anos, que residia na Rua José de Alencar (Romeirão), foi morto com três tiros, sendo dois na cabeça e outro nas costas quando saia do Bar da Zuleica na Rua das Flores (Santa Tereza). Os autores foram dois homens que chegaram em um Saveiro de cor prata. A vítima respondia por homicídio, porte ilegal, furto, formação de quadrilha, desacato e exploração de jogo de azar.

Dia 15 – Francisco Edmilson Braz dos Santos, de 33 anos, pilotava uma motocicleta Yamaha de cor prata no cruzamento da Avenida Castelo Branco com a Rua São Paulo (Romeirão), quando foi surpreendido com quatro tiros no olho, braço, perna e ombro disparados por uma dupla que trafegava em outra moto.

Dia 18 – Ricardo Ventura da Silva, de 18 anos, que residia na Rua Otacilio Almeida, 21 no Campo Alegre (Bairro Tiradentes), foi morto com um tiro de revólver na cabeça. O corpo foi encontrado por populares na Rua Manoel Amorim dos Santos, imediações do número 70.

Dia 18 – José Ismael Barbosa de Lima, de 16 anos, que morava na Rua Otacilia Almeida no Campo Alegre (Tiradentes), também foi morto com um tiro na cabeça e o corpo só encontrado às 14 horas do mesmo dia a 100 metros do local do seu comparsa Ricardo. Ele pode ter tentado fugir sem êxito e familiares estavam preocupados com a ausência, pois nem no velório do amigo tinha comparecido.

Dia 29 – Cícero Bezerra de Lima, de 35 anos, o “Ciço dos Pneus” que residia na Rua Idevaldo Ramos Rodrigues, 72 (Bairro São José), foi morto com três tiros de revólver perto do DETRAN por dois homens em uma moto Honda Bros de cor vermelha. Ele era irmão do Soldado Ribeiro do Ronda do Quarteirão.

Dia 30 – Lucele Marcelino Santana, de 40 anos, o “Neguinho” que residia no Bairro Antonio Vieira, foi morto com quatro tiros de revólver por dois homens em uma moto quando trafegava pela Rua da Imprensa daquele bairro. O mesmo já respondia por tráfico de drogas, roubo e porte ilegal de arma de fogo.

SETEMBRO (19 homicídios)

Dia 01 – Isaias Ângelo de Araújo, de 40 anos, que residia na Rua Rosa Rick da Conceição (Frei Damião), foi morto com dois tiros de revólver na face quando passava na Rua Pedro Duda, imediações da Ceará Diesel (Bairro Triângulo) por dois homens que trafegavam em uma moto de cor vermelha.

Dia 05 – Wilron Alves de Araújo, de 32 anos, o Peninha que era artesão e residia na Rua São Bento (Franciscanos), foi morto com seis tiros no cruzamento das ruas Dom Bosco e 1º de Maio (Bairro Pio XII), por Samuel Ferreira da Silva, de 23 anos, residente no conjunto Cícero Alves. O acusado se aproximou em uma moto Honda da vítima usuária de drogas. Samuel responde inquéritos por homicídios, furto, tráfico de drogas e roubos.

Dia 07 – Eduardo Amaro de Lima Filho, de 26 anos, que residia no Bairro Pirajá, foi morto com nove tiros de pistola no cruzamento das ruas José de Alencar e Rui Barbosa por quatro que chegaram em duas motos pretas. A vítima era ex-presidiário e respondia por roubos e porte ilegal de arma de fogo. O principal acusado é apelidado por Natan.

Dia 07 – José Carlos Dias dos Santos, de 34 anos, o Carlão dono de uma padaria, foi morto com três tiros na Rua Odílio Figueiredo (Bairro João Cabral), e seu filho de 14 anos lesionado. A vítima tentou defender o rapaz agarrando o acusado de iniciais E. P. S., de 16 anos, que atirou no pai, mas foi espancado por populares e a polícia prendeu, também, Cícero Alisson dos Santos, de 27 anos, com a arma do crime.

Dia 08 – Teófilo dos Santos Morais, de 24 anos, o Tetê que residia na Rua José de Alencar (Romeirão), foi morto com um tiro na cabeça na porta de sua casa por dois homens em uma Honda Bros de cor vermelha apelidados por Natan e Tiago. A vítima cumpria pena em regime semi-aberto por tentativa de homicídio.

Dia 09 – José de Oliveira Timóteo, de 35 anos, o Zé Pilintra, foi morto com quatro tiros por um homem que chegou em uma moto de cor preta na sua casa à Rua Sebastião Régis (Aeroporto). A vítima tinha sido presa há 25 dias por conta de um Mandado de Prisão Preventiva em aberto por homicídio.

Dia 10 – José Márcio da Silva, de 22 anos, mecânico que resida na Rua Padre Ourives, 231 (Bairro Santa Tereza) foi morto com três tiros de revólver no tórax dentro de sua casa por um homem apelidado por “Buiu Aleijado”. Um projétil atingiu um menor de 12 anos, primo de Márcio que era usuário de drogas.

Dia 12 – Caio Michel da Silva Gomes, de 23 anos, que trabalhava como sapateiro e residia na Rua das Dores, 403 (Socorro) foi morto a tiros juntamente com o amigo Felipe na porta de casa por dois homens que chegaram em uma moto.

Dia 12 – Felipe Pinheiro de Lira, de 18 anos, que residia na Rua Pio X (Salesianos), foi morto a tiros juntamente com o amigo Caio na porta da casa deste à Rua das Dores, 403 (Socorro). Ele era filho do gerente de futebol do Icasa, Paes de Lira.

Dia 12 – André Luiz Fernandes dos Santos, de 19 anos, que residia na Rua José Marrocos (Salesianos), foi morto com um tiro no cruzamento das ruas Rui Barbosa e Limoeiro (Casas Populares) por dois homens em uma moto. O principal suspeito é apelidado por Mascote. A vítima já tinha sido preso sob acusação de prostituir menores.

Dia 13 – Marcelo de Alencar e Silva, de 20 anos, o Marcelinho Gordinho, que residia na Rua João Marciel (Bairro Triângulo), foi morto perto de casa com três tiros efetuados por dois homens em uma moto. Ele respondia por tráfico de drogas e fugiu da cadeia pública de Barbalha quando tinha 18 anos.

Dia 16 – Romualdo dos Santos Cunha, de 21 anos, que residia na Rua Luiz Galvão (Timbaúbas), foi morto por dois homens em uma moto que atiraram no rapaz em frente à sua residência. Segundo familiares, um dos autores seria um homem conhecido por Micael e que o motivo poderia ser uma dívida de R$ 20,00 junto a traficantes.

Dia 16 – Antonio Felipe Oliveira Cabral, de 20 anos, que residia no Bairro São José, foi morto com dois tiros no cruzamento das ruas Ivany Feitosa e 21 de Abril (Tiradentes). Elane Cristine Oliveira Silva Tavares, casada, com quem o mesmo tivera um romance, discutia na hora que passou um homem em uma moto e atirou. Há suspeitas que tenha sido atraído para o “cheiro do queijo”. Ele era acadêmico da URCA e filho do policial Cabral da CPMA.

Dia 18 – Evandro Carneiro da Silva, de 23 anos, que residia na Rua São Lazaro (Bairro Triangulo), foi morto com três tiros de revólver na Rua Francisca Leila Fontes daquele bairro por três homens em duas motos. A vítima respondia porte ilegal de arma de fogo, era usuário de drogas e foi vítima de atentado à faca em setembro de 2010.

Dia 23 – Francisco Aurílio dos Anjos Parente, de 17 anos, que residia no Frei Damião, foi morto a tiros na Rua Manuel Tavares Lopes, imediações do Bar do Jorge, daquele bairro, por dois homens que chegaram em uma moto Honda Bros de cor vermelha. O garupeiro o alvejou na cabeça e pescoço. Os suspeitos são Vinicius Alves Bezerra, o Galeguinho” e “Danda”.

Dia 24 – Bruno Mikaedson Bezerra da Silva, de 17 anos, que residia na Rua Rosa Rita da Conceição (Bairro Frei Damião), foi morto com um tiro de espingarda 12 na boca na casa do amigo Jairo Robério Bezerra, de 20 anos, o Jairinho, na Rua Joaquim Alexandre Souza. A polícia investiga se houve algum entrevero e o jovem teve a intenção de matar ou se o mesmo manuseava a arma e esta disparou acidentalmente.

Dia 25 – Jhonatam Lima da Silva, de 19 anos, que residia na Avenida Salgueiro (João Cabral) morreu no Hospital Santo Antonio de Barbalha três dias após ser baleado na cabeça por um homem a pé na Rua Socorro Norões Mota (Bairro Triângulo). Ele era acusado de roubo, homicídio e lesão corporal.

Dia 29 – Alana Deise Cavalcante Silva, de 20 anos, que residia no Triângulo, morreu no HRC uma semana após ser lesionada com um tiro que transfixou a cabeça saindo no pescoço ao passar na Rua Poeta José Bernardo da Silva. Ela voltava para casa com o marido Leonardo Pereira da Silva quando cinco homens em duas motos passaram em alta velocidade e atirando.

Dia 30 – Francisco de Assis Silva Evangelista, de 35 anos, o Erisvaldo Crediarista, foi morto com um tiro no olho esquerdo na Rua Odílio Figueiredo (João Cabral) e ninguém quis dar informações sobre o crime.

OUTUBRO (06 homicídios)

Dia 04 – José Renivaldo Santana Garcia, de 40 anos, que residia na Rua Pedro Álvares Cabral (Frei Damião), foi morto com dois tiros no peito e nas costas. O corpo foi encontrado pela própria filha em um terreno baldio na Rua Manoel Tavares Lopes, daquele bairro. A vítima por lesão corporal e contravenção penal.

Dia 05 – Maria Arruda Silva, de 73 anos, que residia no bairro João Cabral, morreu no hospital após ser atingida com bala perdida nas costas no dia 3 de agosto na Rua Ozana Pereira. Jovens que chegaram em um Fiat vermelho tentavam matar Ana Maria Alexandre de Araújo, de 28 anos, presa por furtos em Barbalha lesionada na perna.

Dia 06 – Francisco Walter Romão de Andrade, de 29 anos, o Valdim, que residia no bairro João Cabral, morreu no Hospital Regional do Cariri uma dia após ser lesionado com seis tiros. Ele respondia por tráfico de drogas, porte de arma de fogo, roubo, furto e homicídio.

Dia 16 – Luiz Fábio dos Santos, de 36 anos, o Fabinho, que residia na Rua Rui Barbosa (Bairro Santa Tereza), foi morto com uma facada no pescoço por Alex Silva dos Santos, de 24 anos, o Cascudinho, residente na Rua São Paulo (Romeirão), que foi preso dizendo que tinha levando um soco no rosto. Em 2009, Fabinho fora vítima de dois atentados à bala.

Dia 27 – Bruno Fernandes de Melo, de 23 anos, que residia na Rua 22 de Julho (Pio XII), foi morto com dois tiros na cabeça e braço direito no cruzamento da Avenida Carlos Cruz com a Rua Belo Dourado (Pio XII) Os autores foram dois homens que se aproximaram da vítima em uma moto de cor preta.

Dia 28 – Cícero Alex de França Alves, de 18 anos, que residia na Rua Francisco Monteiro (Triângulo), foi morto com dois tiros no queixo e peito esquerdo por dois homens em uma moto vermelha quando passava na Rua Delmiro Gouveia (Salesianos).

NOVEMBRO (15 homicídios)

Dia 02 – Ronaldo Mendes, de 23 anos, que residia na Rua José Sabiá, 132 (Tiradentes), foi morto com dois tiros no ombro e peito esquerdo quando passava no cruzamento das Ruas José Sabiá e Martiniano de Santana daquele bairro por dois homens em uma moto Honda Bros de cor preta.

Dia 10 – Francisco José da Silva, de 45 anos, o “Gaiato”, foi morto com quatro tiros no cruzamento das ruas Formosa com Domingos Sávio (Bairro Pio XII), dois homens passaram em uma moto Honda Bis de cor preta e atiraram cinco vezes contra, o qual foi atingindo com quatro disparos nas duas pernas e duas vezes no abdômen. Ele foi socorrido ao HRC onde morreu.

Dia 10 – Francisco Kleidson Ferreira Pereira, de 26 anos, o Gueguê, que residia na Avenida José Bezerra (Pio XII), foi alvejado com quatro tiros e morreu no HRC. Ele bebia em um bar no no cruzamento das ruas João Marcelino e Teodomiro Rocha daquele bairro quando chegaram dois homens em uma moto atirando e lesionando ainda nas costas Cícero Eduardo Neves Amaral, de 31 anos, acusado do tráfico de drogas. Kleidson respondia por porte ilegal de arma em Caririaçu.

Dia 11 – José Carlos da Silva Flor, de 30 anos, o Miúdo, que residiano Sitio Sabiá, foi morto com vários tiros na Avenida Carlos Cruz (Pedrinhas), na linha férrea, por vários indivíduos que trafegavam em um Fiat Siena de cor prata. A vítima respondia por crimes de roubo, receptação e adulteração de veículos.

Dia 15 – José Ivan de Lira Gonçalves, de 29 anos, o Deda, doente mental que residia na Rua Santa Isabel, 1988, foi assassinado em um terreno baldio no cruzamento das ruas Francisca Paula Bezerra e Madre Maria Vilac (Limoeiro). O corpo foi encontrado putrefato e em decomposição na posição decúbito ventral com as calças arriadas.

Dia 18 – Tales da Silva Dias, de 25 anos, morreu no HRC quase dez horas após ser baleado na Avenida Virgílio Távora (Bairro Aeroporto) juntamente com seu irmão René da Silva Dias, de 31 anos, o Renê das Malvas, que escapou. A polícia apreendeu com eles duas pistolas. Os autores dos disparos fugiram em um Corolla de cor prata.

Dia 19 – Francisco de Assis Alves do Nascimento, de 30 anos, vigilante do Mercado do Triângulo no cruzamento das ruas Socorro Norões Mota e Francisco Vicente (Triângulo), foi morto por José Jonas Santos Batista, de 19 anos, residente naquele bairro, com um tiro de espingarda 12 e uma paulada na cabeça com cacetete.

Dia 22 – Reginaldo Cordeiro de Oliveira, de 42 anos, que residia na Rua Rui Barbosa (Santa Tereza) foi morto com três tiros naquele bairro por dois homens que trafegavam em uma moto. Ele era suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas.

Dia 23 – Roseno Pereira da Silva Neto, de 35 anos, que residia na Rua Letícia Vasconcelos, 408 (Triângulo), foi morto com uma facada na garganta imediações da Feirinha da Troca (João Cabral) e o autor roubou R$ 5 mil. “Neguinho” mora na Rua João Maciel, 767 e fugiu.

Dia 24 – Francisco Anderson de Oliveira, de 16 anos, que residia na Rua Engenheiro José Walter (Frei Damião), foi morto com um tiro na testa efetuado por dois homens que trafegavam em uma motocicleta.

Dia 24 – José Ribeiro dos Santos Filho, de 25 anos, foi assassinado com dois tiros na Rua Tenente José Dias (Timbaúbas). Existe uma hipótese de que tenha sido morto por engano.

Dia 25 – Antônio José de Souza, de 63 anos, que residia no Sítio Santo Antonio, interveio na briga dos filhos por causa de uma bicicleta quando foi empurrado por Francisco Antônio da Silva Souza, de 24 anos, e a vítima caiu. Ele foi indiciado por homicídio culposo em virtude de a queda ter contribuído para a morte do pai.

Dia 26 – Cícero Landim Silva, de 32 anos, que residia na Rua Emídio de Lira (Vila Fátima), morreu no HRC cinco horas após ser alvejado com quatro tiros na Rua José Ferreira, 168 daquele bairro efetuados pelo seu cunhado Daniel de Matos, de 20 anos, residente na Rua Pedro Guilherme, que teria sido agredido pela vítima no dia anterior durante discussão por questões pássinais.

Dia 26 – Rogério de Oliveira Melo, de 29 anos, mecânico, que residia na Rua do Limoeiro, 1193 (Pirajá), morreu no Hospital Santo Antonio dez horas após ser alvejado com dois tiros na cabeça no cruzamento das ruas Artesão Manoel Barros e José Gonçalves de Almeida (Tiradentes) por dois homens em uma moto. No domingo, ele discutiu com uma pessoa identificada por Alexandre com quem bebia.

Dia 28 – Eridiane Henrique Pereira, de 25 anos, foi morta a golpes de faca nas imediações do Mercado Senhora Santana (Salesianos) por Graça Rafaela Marinho Vieira, de 20 anos, que foi presa. O motivo foi rixas por ciúmes de uma pessoa que tinha namorado Eridiane e estava com a acusada.

DEZEMBRO (14 homicídios)

Dia 07 – José Severino da Silva, de 49 anos, comerciante conhecido como Zé do Bar, foi morto a tiros em um prédio em obras no cruzamento das ruas Sebastião Mariano e Radialista Coelho Alves (Tiradentes) por dois homens em uma moto escura. A vítima era suspeito de envolvimento em um homicídio.

Dia 07 – Jeferson Moreira de Souza, de 16 anos, morreu no HRC seis dias após ter sido baleado perto de sua casa na Avenida Carlos Cruz, 355 (Antônio Vieira). Um adolescente de 13 anos que estava com o mesmo não soube dizer quem atirou e nem motivos.

Dia 07 – Valter Júnior Araújo, de 26 anos, que residia na Rua Francisca Silva Monteiro, 264 (Tiradentes) morreu no HRC um dia após ter sido alvejado a tiros. O mesmo foi surpreendido por dois homens que trafegavam em uma moto.

Dia 09 – George Alves Pereira, de 23 anos, que residia na Travessa Moisés Fernandes, 182 (Timbaúbas), foi morto a tiros na Rua do Capim naquele bairro. A mãe do mesmo acusou os irmãos apelidados por Neném Boca Podre e Pretinho que já tinham até esfaqueado o seu filho. Além disso, as ameaças eram constantes.

Dia 10 – Roberto Pereira do Nascimento, de 29 anos, o Titela, que residia na Rua Santa Isabel, 1930 (Bairro Pirajá), morreu no HRC após ser baleado nas costas no dia 3 de dezembro por dois homens em uma moto quando passava no cruzamento das ruas Rui Barbosa e São Benedito (Casas Populares).

Dia 11 – Francisco Bezerra Pereira, de 27 anos, o Júnior, que residia na Rua São Benedito, 2391 (José Geraldo da Cruz), foi morto com dois tiros por dois homens em uma moto prata no cruzamento das ruas Todos os Santos com Pinto Madeira (Santa Tereza). A vítima respondia por crimes de furtos, roubos, arrombamento e ameaça.

Dia 16 – Gleyton Ferreira de Araújo, de 20 anos, o Juju, que residia na Rua Poeta José Mergulhão de Sousa (Frei Damião), foi morto a tiros por dois homens em uma moto quando passava na Rua Sanfoneiro João Lucas, imediações da Igreja Congregação Cristã no Brasil daquele bairro. Uma hora e meia antes, ele tinha lesionado com cinco tiros Demontier Batista da Silva, de 28 anos, que foi socorrido ao HRC.

Dia 18 – Antonio Carlos de Souza, de 50 anos, que residia na Rua Antonio Adil da Nóbrega, 306 (Triângulo), foi morto com três tiros no cruzamento das Ruas Socorro Norões Mota e Antonio Adil da Nóbrega daqueel bairro por dois homens que se aproximaram em uma moto e um deles atirou.

Dia 20 – Geovane Gonçalves Silva, de 48 anos, o Candeias, que residia na Rua Antonio Freitas Roque, 254 (Limoeiro), foi morto com quatro tiros efetuados por dois homens em uma moto Yamaha YBR vermelha quando fazia Cooper pela Avenida Padre Cícero, imediações do Maxxi Atacado (São José)

Dia 20 – Júlio Viana da Silva, de 27 anos, o “Dulim”, que residia na Rua da Paz, 1412 (João Cabral) foi morto com sete tiros de pistola dentro de sua casa onde seria uma suposta “boca de fumo”. Ele tinha passagens pela polícia e o assassino foi um homem que ali chegou em uma moto.

Dia 22 – José Galdino Ribeiro, de 50 anos, o “Mudinho”, que residia na Rua Sebastião Cavalcante (Timbaúbas), foi morto dentro de casa com um tiro no peito esquerdo pelo seu próprio vizinho que fugiu em uma moto Honda Bros de cor preta.

Dia 25 – Cícero Gabriel da Silva Júnior, de 23 anos, que residia na Rua José Andrade Lavor (João Cabral), foi morto a tiros por dois homens que chegaram em uma moto preta e saíram perseguindo-o até matá-lo no quintal de uma casa vizinha na Rua Jaime Dorcy. Ele era usuário de drogas.

Dia 26 – Antônio Leonilson Almeida dos Anjos, de 29 anos, que residia na Rua Formosa (Pio XII) e cumpriu pena por tráfico de drogas foi morto com seis tiros na Rua Domingo Sávio (Timbaúbas) por três homens que dele se aproximaram em duas motos.

Dia 31 – José Wanderson de Freitas Silva, de 21 anos, que residia na Avenida Paraíba (João Cabral), foi morto com dois tiros na nuca e peito esquerdo na Avenida Paraíba, 964 daquele bairro por dois homens em uma moto Honda Bros de cor vermelha.
MAIS NOTÍCIAS: http://radioculturacrato.blogspot.com.br/

Crato-CE: Fóssil de camarão inédito é apresentado

20130118083440_meio
Elizângela Santos

A apresentação ocorreu no Geopark Araripe e permanecerá resguardado no Museu de Paleontologia de Santana do Cariri. (Foto: Chinês/Agência Miséria)
Apresentado para a comunidade científica a única espécie de fóssil de camarão encontrada no planeta. Como o nome científico de Kellnerius jamacaruensis, em homenagem a um dos maiores nomes da Paleontologia brasileira, a concreção foi divulgada oficialmente na manhã de ontem, na sede do Geopark Araripe, na cidade do Crato, pelo coordenador da maior escavação controlada do Nordeste, Álamo Feitosa, iniciada em agosto de 2011.

A solenidade contou com a presença da imprensa regional e estadual, além de pesquisadores, gestores da Urca e integrantes da pesquisa Estudos Sistemáticos e Paleoecológicos da Fauna de Vertebrados das Formações Crato e Romualdo (grupo Santana) da Bacia do Araripe.

O novo camarão carídea é da formação Romualdo, da Bacia Sedimentar do Araripe, de onde já foram retirados inúmeras pelas fossilizadas. O material foi encontrado entre mais de 1.300 peças fósseis, em 11 dias de prospecção, no distrito de Jamacaru, em Missão Velha. Esse trabalho fez parte da segunda escavação realizada dentro do projeto, na parte leste da bacia.

A primeira aconteceu em Araripe, à oeste. Nos próximos meses, após a temporada das chuvas, deverão ser iniciadas novas escavações, dessa vez na cidade de Campos Sales.

Bolsista

A nova peça descrita teve a preparação da bolsista do curso de Biologia da Urca, Caroline Maiara da Silva. Ela foi responsável pela apresentação desse trabalho, que envolveu desde a retirada do fóssil da matriz, à análise em microscópio eletrônico o uso de agulhas de insulinas, para a limpeza do material. Pela raridade do fóssil, a grande surpresa, segundo Álamo Feitosa, foi a publicação na revista científica da Nova Zelândia, Zootaxa, do material encontrado. A avaliação dos editores destacou o caráter inédito do material, como o primeiro camarão fossilizado do mundo. Segundo pesquisador, Álamo Feitosa, o fóssil tem mais de 100 milhões de anos, inserido na era cretácea. O camarão é proveniente de água com pouca salinidade e semelhante as espécies que se conhece atualmente. Pelo caráter de preservação dos fósseis encontrados na região, conforme o paleontólogo, já foram encontrados crustáceos similares, mas dentro da barriga dos peixes em concreção.

Espécie de fóssil de camarão é a única encontrada no planeta (Foto: Chinês/Agência Miséria)

Extração

A pesquisa que vem sendo realizada no Cariri, por meio da Urca e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Nacional (CNPq), com apoio do Geopark Araripe, é responsável pela extração de mais de 6 mil peças. A maioria será depositada no Museu de Paleontologia de Santana do Cariri, posteriormente, inclusive o fóssil do camarão, localizado em maio do ano passado, em Jamacaru. A divulgação veio ser feita, conforme o estudioso, somente agora, por conta das análises, descrição e da publicação em revista científica de seu ineditismo, também ressaltando o caráter de importância da Bacia Sedimentar do Araripe, como uma das áreas de pesquisa mais relevantes no estudo da paleontologia.

O pesquisador homenageado, Alexandre Kellner, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), destaca a importância de pesquisadores da própria região estarem divulgando essa descoberta. Esse trabalho, segundo ele, é fruto de uma parceria para capacitar pesquisadores locais. Outro fator levantado pelo cientista é que o camarão jamais teria sido encontrado, se não houvesse o desenvolvimento de uma escavação controlada. “Existe agora uma capacitação e pessoas que conseguem desenvolver pesquisas e fazer esse trabalho belíssimo que são as escavações”.

Em mais de 45 anos de atuação na área, Kellner disse que foram os fósseis da região que deram uma importante base de contribuição a sua carreira. Álamo ressaltou a relevância do pesquisador nos estudos dos fósseis da Bacia do Araripe, com a descrição do primeiro dinossauro com tecidos moles, peles e vasos sanguíneos, chamando a atenção da comunidade científica mundial, em relação ao nível de preservação do material coletado no Cariri.

Durante a apresentação, o vice-reitor da Urca, Patrício Melo, destacou a parceria que está sendo firmada com a Universidade de Campinas (Unicamp), para análise de microfósseis achados na região. Contribuindo, segundo ele, para a ampliação dos estudos na área.

Mais informações:

Universidade Regional do Cariri (Urca)
Laboratório de Paleontologia
Rua Teófilo Siqueira, 754, Centro
Crato. Telefone: (88) 3102.1237

Fonte: Diário do Nordeste
MAIS NOTÍCIAS: http://radioculturacrato.blogspot.com.br/